14.4.12

Quero acreditar que me amas, eu quero! Mas bem lá no fundo eu sei bem que não. Sei que já não me amas... Talvez seja porque nunca me 
amaste.
Hoje estou a sofrer porque tu, mais uma vez, fizeste questão de me deixar assim. Iludiste-me com as tuas mentiras e eu deixei-me levar por ti! 
Eu acreditei porque eu confiava em ti e acreditava em todas as palavras que me dizias. Fizeste-me acreditar que a nossa relação ia resultar e 
depois deixaste-me... Para quê? Para poderes ser livre e andares atrás das tuas amiguinhas sem ter que me dar justificações... Sim, tenho 
mesmo a certeza que elas te conhecem como eu, que elas sabem todos os teus problemas de cor e que elas sabem como te fazer sentir 
melhor... Mas anda, vai lá atrás delas... Aliás, como sempre fizeste.
Desta vez não irá ser o tempo a curar, porque o tempo... Esse já não existe. Desta vez serei eu mesma a curar esta ferida que ainda não tinha 
sido fechada e tu.
Não vou sofrer mais nem nem vou deixar que me coloques num estado que ainda hoje não sei nem como definir.
Finalmente cheguei à conclusão que eu e tu nunca seremos um nós, que não te posso ter. Mas afinal, eu já sabia disso.
Não vou lutar mais por ti porque tenho plena noção que não irá servir de nada. Nunca serviu.
Amo somente a ideia que tenho de ti. Amo quem tu és, não quem tu finjes ser.
Viverás eternamente na minha memória e no meu coração, disso não tenho qualquer dúvida.
Serás sempre especial para mim, porque apesar de tudo o que vivemos não se esquece! Não esquecerei nada do que passamos e nunca 
esquecerei o que eramos mesmo que nunca mais sejas o joão por quem me apaixonei.
Esta vai ser a última vez que te irei escrever, desta vez realmente a última. Porque tudo tem um fim.
Não te odeio porque nem isso mereces de mim. Apenas estou cheia de raiva, como muitas vezes tive de ti, por todas as coisas que me fizeste
passar, por todo o sofrimento que me fizeste passar. E o pior? Nem te importaste. Mas eu já devia saber. Conheço-te bem, aliás, devo ser 
mesmo a única que te conhece realmente! Sei como és arrogante e egoísta. Mas eu aceitava isso em ti, eu até chegava a achar piada. Só agora
me apercebo como era burra! 
Não quero mais nada de ti, apenas distância e assim sendo, espero que respeites isso porque mereço.
Nas memórias que tenho nossas serás sempre "o meu joão, o meu menino", serás sempre o rapaz por quem me apaixonei incondicionalmente e
aquele que mais amei, mais do que tudo, mais do que todos.
Não te agradeço por nada porque tu fizeste-me muito mal também e isso não merece perdão, muito menos um agradecimento.
Não te vou perdoar porque desta vez demonstraste que nunca o mereceste. 
Porque afinal, algum dia vou ter que te deixar sair de vez da minha vida e a mim parece-me que agora é o momento certo.
link do postPor -Léé ♥, às 23:43 

De p;αndяαde. ॐ a 15 de Abril de 2012 às 00:01
e é! apresento-te um dos maiores canalhas que já me apareceu à frente! acho que não há nenhuma amiga dele que tu possas olhar e dizer "nunca a comeu". .-.
verdade sim sra! (A)

De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres


Copiar caracteres

 



mais sobre mim
subscrever feeds
blogs SAPO